Centro Cirúrgico: por dentro do coração do hospital

Cirurgia Geral

O centro cirúrgico é um setor do ambiente hospitalar composto por várias áreas interligadas que proporcionam plenas condições para a realização de um procedimento cirúrgico seguro. 

Considerado uma área complexa, o centro cirúrgico conta com acesso restrito e possui particularidades na sua estrutura física conforme o perfil da instituição a qual pertence. O ambiente ainda atende às normatizações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).  

É imprescindível para o centro cirúrgico ter: ambientes de apoio para guardar equipamentos, vestiários com banheiro, área administrativa, espaço para armazenar cilindros, laboratório, copa, sala de espera para os acompanhantes com banheiro, sala para os funcionários área  destinada para guardar os periféricos (cadeiras de rodas, macas, etc).  

O centro cirúrgico ainda precisa ser um local de fácil acesso às demais unidades do hospital, principalmente aos setores de internação, pronto-socorro, centro de terapia intensiva (CTI) e unidade coronariana. É necessário que as unidades de suporte também tenham acesso à farmácia, lavanderia, agência transfusional, laboratório, raio-X e central de material esterilizado (CME). 

 

Recomendações básica para a instalação dos centros cirúrgicos: 

  • A saída de emergência deve ser facilmente visualizada por todos os profissionais que atuam no CC; 
  • Controle individual de temperatura para cada sala cirúrgica; 
  • Pressão positiva com o objetivo de prevenir a entrada de ar potencialmente contaminado na sala cirúrgica; 
  • A zona de transferência não é mais necessária, sendo uma barreira física utilizada no local de acesso dos pacientes; 
  • O piso deve ser resistente e não possuir porosidade para facilitar a limpeza, pois desta forma a visualização da sujeira é mais fácil. Além disso, deve conduzir bem a eletricidade, possuindo aterramento e ser antiderrapante; 
  • As paredes não podem ser revestidas com azulejos, pois as juntas do reboco apresentam poros que podem abrigar micro-organismos; 
  • O meio externo não pode se comunicar com a sala cirúrgica. As janelas devem ser lacradas; 
  • Portas com visores de vidro para evitar sua abertura a qualquer momento; 
  • É necessário ter válvulas de emergência para a rede de gases medicinaisque devem estar claramente identificados e visível para todos; 
  • É altamente recomendado ter um sistema de ar condicionado central, com a finalidade de remover gases anestésicos, para controlar a temperatura e a umidade, promover uma adequada troca de arremovendo partículas em suspensão e, ainda, impedir a entrada de partículas oriundas de áreas adjacentes. 

Para um processo adequado do fluxo de trabalho, a equipe que atua na unidade de centro cirúrgico deve estabelecer uma coordenação com os demais times de profissionais e serviços como, por exemplo, laboratórios, radiologia e banco de sangue, oferecendo assistência adequada às necessidades dos pacientes. 

 

A equipe que atua no centro cirúrgico é composta por: 

  • Cirurgiões; 
  • Anestesistas; 
  • Enfermeiros; 
  • Técnicos de enfermagem; 
  • Auxiliar de enfermagem; 
  • Instrumentadores cirúrgicos; 
  • Auxiliar de limpeza 

 

O objetivo principal da equipe do centro cirúrgico é: 

  • Propiciar cuidados especializados e com qualidade ao paciente; 
  • Promover a recuperação ou melhora do paciente por meio de uma intervenção cirúrgica; 
  • Oferecer segurança e bem-estar ao paciente. 

 
Para que haja um funcionamento eficaz do centro cirúrgico algumas regras são necessárias: 

  • Ideal que faça o agendamento com no mínimo 24 horas de antecedência para as cirurgias; 
  • Elaborar e encaminhar o mapa cirúrgico um dia antes do dia da cirurgia para que os setores de apoio se organizem; 
  • Iniciar as cirurgias sempre no horário agendado, exceto quando há alguma intercorrência, para que não ocorra atraso nos procedimentos subsequentes; 
  • Não permitir portar ou ingerir nenhum tipo de alimento no interior da área crítica do centro cirúrgico, ou seja, na central de esterilização, central de material esterilizado, salas operatórias e corredor cirúrgico. 
  • Permitir somente a entrada de pessoas pertencentes à área do centro cirúrgco, que possua autorização da chefia do setor e do chefe da equipe cirúrgica; 
  • O vestuário do centro cirúrgico é privativo e não deve ser utilizado em outros setores do hospital; 
  • É terminantemente proibido o uso do conjunto cirúrgico por cima da roupa comum; 
  • A utilização de malas, maletas e bolsas só será aceita quando envoltas em sacos plásticos; 
  • Só é permitida a entrada na área crítica de pessoas que estiverem devidamente paramentadas; 
  • Adereços como brincos, anéis, pulseiras e cordões devem ser evitados no interior do centro cirúrgico; 
  • O registro geral da operação deve ser preenchido completamente pelo médico cirurgião, incluindo assinaturas e carimbos dos respectivos integrantes da equipe; 
  • Só deve ser permitida a entrada do paciente no centro cirúrgico após a confirmação da autorização do procedimento; 
  • A preparação das salas deve ser realizada, pelo menos, 15 minutos antes do horário agendado. 
     

Sendo um setor restrito, o acesso do centro cirúrgico ao público é limitado. Assim, é permitida somente a circulação dos profissionais autorizados. Para controle de infecção, o centro cirúrgico é dividido em três áreas: 

 
Área irrestrita: os profissionais de saúde podem circular livremente por estas áreas com roupas próprias. 

Áreas semi-restritas: permite a circulação dos profissionais de tal forma que não intervirá na rotina de controle e manutenção da assepsia da área restrita. É possível citar o expurgo, sala de estar e sala de preparo do material. 

Área restrita: é obrigatória a roupa privativa do próprio centro cirúrgico, devem ser usadas máscaras e gorro de forma rigorosa, conforme normas da unidade e as técnicas assépticasdiminuindo assim o risco de infecções.  

 

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts
relacionados

A colecistectomia é um procedimento minimamente invasivo para o tratamento da litíase biliar. Conheça a técnica!

Cirurgia Geral

30/07/2019

Colecistectomia - Cirurgia de retirada de vesícula biliar

A colecistectomia é um procedimento minimamente invasivo para o tratamento da litíase biliar. Conheça a técnica!

Leia mais
Considerada uma das maiores evoluções tecnológicas da medicina, a videocirurgia consiste em uma técnica minimamente invasiva que utiliza um sistema de imagens e instrumentais introduzidos no organismo através de pequenas incisões para exploração de diferentes órgãos e tecidos. A utilização desta tecnologia permite menor morbidade, proporcionando redução na dor e nas complicações pós-operatórias e retorno […]

Cirurgia Geral

29/05/2019

Cirurgia laparoscópica pediátrica - Como funciona?

Considerada uma das maiores evoluções tecnológicas da medicina, a videocirurgia consiste em uma técnica minimamente invasiva que utiliza um sistema de imagens e instrumentais introduzidos no organismo através de pequenas incisões para exploração de diferentes órgãos e tecidos. A utilização desta tecnologia permite menor morbidade, proporcionando redução na dor e nas complicações pós-operatórias e retorno […]

Leia mais
Saiba o que é a síndrome do túnel do carpo, conheça seus principais sintomas e veja como funciona o diagnóstico da doença.

Ortopedia

13/08/2018

Diagnóstico para síndrome do túnel do carpo

Saiba o que é a síndrome do túnel do carpo, conheça seus principais sintomas e veja como funciona o diagnóstico da doença.

Leia mais
CPRE é um exame endoscópico que tem por objetivo detectar e tratar doenças do fígado e do pâncreas e o canal pancreático principal.

Cirurgia Geral

08/03/2018

Você sabe o que é CPRE?

CPRE é um exame endoscópico que tem por objetivo detectar e tratar doenças do fígado e do pâncreas e o canal pancreático principal.

Leia mais
Conheça as causas, diagnóstico e os principais métodos de tratamento da hérnia de hiato. Leia a matéria completa!

Cirurgia Geral

06/03/2018

Como funciona a cirurgia laparoscópica de hérnia de hiato?

Conheça as causas, diagnóstico e os principais métodos de tratamento da hérnia de hiato. Leia a matéria completa!

Leia mais
×