A Fibra Ótica e a Medicina:
A invenção do século a serviço da Saúde!

Postado em 30 de janeiro de 2018


vantagens na utilização de energia bipolar em laparoscopia

Você sabe o que é a fibra ótica? E do que é feita e para que serve? Deve provavelmente ser uma das grandes invenções do século XX , senão for a maior.

A fibra ótica é um filamento extremamente fino e flexível, feito de vidro ultrapuro, plástico ou outro isolante elétrico (material com alta resistência ao fluxo de corrente elétrica). Possui uma estrutura simples, composta por capa protetora, interface e núcleo.

A grande aplicação das fibras óticas está focada nas telecomunicações, e se hoje possuímos internet com alta velocidade, devemos a este material.

Tipos de fibras óticas:

Os tipos variam conforme o tipo de fonte luminosa usada e a quantidade de sinais que podem ser emitidos dentro da fibra:
Monomodo
A propagação é feita por um único modo, pois a fibra apresenta um núcleo pequeno. O que significa que a largura da banda utilizada é maior e há menor dispersão da luz laser emitida, permitindo a transmissão de sinais a grandes distâncias (WAN). Apesar de a qualidade superiordas fibras monomodo, a fabricação é mais cara, o manuseio é difícil e exige técnicas avançadas.

Multimodo:
Além do laser, as fibras podem usar como fonte LEDs (diodo emissor de luz). Possuem um diâmetro maior e, por isso, mais de um sinal pode transitar o filamento. Dessa maneira, ainda se encontram duas subdivisões: fibras multimodo de índice degrau e as de índice gradual.

A diferença entre elas é que a capacidade de fibra de índice degrau é inferior em relação às outras, tanto pela quantidade de sinal transmitido ser menor quanto por causar maior perda das informações. Na fibra de índice gradual, há uma variação parabólica — como se fizesse uma sequência de arcos durante o percurso — e isso aumenta a faixa de frequência do sinal utilizado.

Devido a essas características, as multimodo são mais usadas para comunicações a curta distância, como redes locais (LAN).


Aplicações Médicas:
As fibras óticas possuem duas possibilidades de uso, bastante diferentes entre si, quando falamos em área médica.

A Primeira refere-se à Iluminação Cirúrgica. Procedimentos avançados como a Cirurgia Minimamente Invasiva, exigem iluminação intra corpórea para que as câmeras possam “enxergar “.

Sendo assim, para conduzir a luz, até o endoscópio que será inserido no corpo do paciente ,luz esta, proveniente de uma fonte de luz, utilizamos cabos condutores compostos por feixes de fibras óticas.

As fibras são fabricadas com altíssimo padrão de qualidade, pois se esse sistema falhar, poderá acarretar em imagens endoscópicas escuras, gerando prejuízo a paciente e médico.

Uma outra aplicação, em sinergia com a aplicação em telecom, refere-se à transmissão de imagens médicas intra-hospitalares.

Com o advento da alta definição em Imagens por vídeo, cabos comuns não possuem grande capacidade de transmissão dessas informações por grandes distâncias. No caso das salas cirúrgicas, onde os equipamentos de cirurgia minimamente invasiva possuem tal tecnologia, fazendo uso das fibras óticas devidamente projetadas para este fim, pode-se transmitir as imagens para vários monitores dentro das salas e inclusive para locais externos como auditórios.

Os cabos de imagem por fibras óticas possuem capacidade de transmissão por quilômetros, sem qualquer tipo de perda ou interferência, fazendo com que a imagem chegue a seu destino final com a mesma qualidade com a qual sai de sua fonte original(no caso, as câmeras endoscópicas)

Saiba mais tanto sobre os Cabos de Luz por Fibras Óticas da KARL STORZ, bem como sobre as soluções de transmissão de imagens OR1.

 

Sobre o Blog

O principal objetivo do nosso blog é proporcionar a nossos clientes, colaboradores e parceiros conhecimento e esclarecimento sobre as soluções médicas e hospitalares desenvolvidas pelas marcas que representamos.

-->

Estética


Compartilhar:

Facebook